Móveis e objetos

BATELÃO Manoel Urbano antes de afundar (com nota de Euclides da Cunha), por [Egas Florence], fotógrafo oficial da Comissão Brasileira de Reconhecimento do Alto Purus. A embarcação foi utilizada por Euclides da Cunha e sua equipe em viagem às cabeceiras do rio Purus. Euclides deu nome ao batelão em homenagem ao grande explorador do rio Purus, Manuel Urbano da Encarnação. Reprod. de Euclides da Cunha, O Rio Purus, RJ, SPVEA, 1960. Coleção Arquivo Histórico do Itamaraty.

BATELÃO Manoel Urbano afundando, por [Egas Florence]. Coleção Arquivo Histórico do Itamaraty.

CARTEIRA que pertenceu ao escritor Euclides da Cunha, com o buraco da bala que o vitimou. Segundo anúncio de “P. Freire” no Jornal do Commercio de 28 jun. 1931, teria sido presente do amigo Oliveira Lima. Foto: Folhapress.

ESCRIVANINHA de Euclides em Lorena, São Paulo [1902-3]. Coleção Sala Euclides da Cunha, UNISAL. Segundo Olga de Sá (Chefe de operários e homem de Letras, In: José Luiz Pasin [org.], O outro Euclides, pp. 144-5),

Quando da sua mudança, Euclides doou-a para o Colégio São Joaquim, que em 1952 incorporou-a ao acervo da Sala. A mesa foi utilizada por Euclides em seu gabinete de trabalho na Superintendência de Obras Públicas do Estado de São Paulo. Foi doada à Sala pelo governador Jânio Quadros.

PORTA-CANETA em EVA com boneco de Euclides da Cunha. Arte: Lao2Artesanato. Foto e coleção: Rachel Bueno.

PRATO comemorativo 100 anos de Os Sertões, ago. 2002. Semana Euclidiana, São José do Rio Pardo, Casa de Cultura Euclides da Cunha. Coleção Felipe Rissato.

PRATO comemorativo 150 anos de nascimento de Euclides da Cunha, ago. 2016. Semana Euclidiana, São José do Rio Pardo, Casa de Cultura Euclides da Cunha. Coleção Rachel Bueno.