documento | certidão de assentamento de Euclides da Cunha (1892)

Como citar
CERTIDÃO de Assentamento do Soldado Euclides Rodrigues da Cunha. [Rio de Janeiro], Arquivo do Exército, 29 set. 1892. 6 p. Original. pesquisa por José Carlos Barreto de Santana, org. e transcrição por Rachel Aparecida Bueno da Silva. In: ANDRADE, Juan C. P. de (org.). Euclides da Cunha site. Documentos. Disponível emhttp://euclidesite.wordpress.com. Acesso em [data]. Digitalizado de SILVA, Rachel Aparecida Bueno da. O projeto de construção da nação republicana na visão de Euclides da Cunha. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Departamento de História, Filosofia e Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.
Transcrição e digitalização de
SILVA, Rachel Aparecida Bueno da. O projeto de construção da nação republicana na visão de Euclides da Cunha. Orientação de Sérgio Eduardo Montes Castanho. 2004. 126 f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Departamento de História, Filosofia e Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.
Pesquisa de
José Carlos Barreto de Santana (UEFS)
Reprodução permitida somente para fins educacionais.

CERTIDÃO DE ASSENTAMENTO DO SOLDADO EUCLIDES RODRIGUES DA CUNHA
Francisco de Paiva Azevedo, Bacharel em Matemática e Ciências Físicas, Tenente Coronel do Corpo de Estado Maior de Primeira Classe e Comandante do de alunos.
Certifico que a praça abaixo declarada tem no arquivo deste corpo os assentamentos do teor seguinte.

Primeira Companhia. Soldado número cento e oitenta e oito, Euclides Rodrigues da Cunha, filho de Manoel Rodrigues Pimenta da Cunha, nasceu em mil oitocentos e sessenta e seis, natural do Rio de Janeiro, cor morena, cabelos castanhos lisos, olhos castanhos, sem oficio, solteiro e com um metro e sessenta e cinco centímetros de altura. = 1886 = Tendo sido julgado apto para o serviço do exército em inspeção de saúde, a que foi submetido, assentou praça voluntariamente e jurou bandeira em corpo de alunos a vinte e seis de fevereiro e na mesma data foi matriculado nas aulas de primeiro ano do curso superior, conforme determinou o Comando da mesma Escola em sua ordem do dia número vinte e seis, ainda de vinte e seis; pelo que foi incluído no estado efetivo da segunda Companhia com o número trezentos e oito. Baixou à enfermaria a três de novembro e teve alta a seis do mesmo mês. = 1887 = A ordem do dia do Comando da Escola número um, de três de janeiro, fez público ter sido aprovado plenamente com grau oito na primeira cadeira, com grau nove na segunda, com grau sete em desenho e com grau oito em exercícios práticos, tudo do primeiro ano do Curso Superior, tendo concluído o curso de infantaria e cavalaria, pelo artigo doze do Exército número oito mil, duzentos e cinco de trinta de julho, de mil, oitocentos e oitenta e um. Outra ordem do dia do mesmo Comando número três, de cinco, fez público ter entrado na mesma data no gozo de dois meses de licença sem vencimentos, por portaria do Ministério da Guerra de quatro, tudo do referido mês de janeiro, lhe foi concedida para tratar de negócio de seu interesse na Província do Rio de Janeiro. Foi mandado considerar matriculado nas aulas do segundo ano do curso superior, a primeiro de março, como fez público a ordem do dia regimental número dez, com referência à do Comando da Escola número dezesseis, ambas do mencionado dia primeiro. A treze do citado mês, apresentou-se da licença em cujo gozo se achava, como fez público a ordem do dia do comando da Escola número dezoito de quatro também de março. Baixou à enfermaria a trinta e um de maio e teve alta a dois de junho; baixou novamente a sete e teve alta a nove tudo de julho; baixou novamente a trinta e um de agosto e teve alta a primeiro de setembro. O ministério em portaria de trinta e um de dezembro concedeu-lhe sessenta dias de licença para tratar de sua saúde onde lhe convier. = 1888 = Entrou no gozo da referida licença a quatro de janeiro, como fizeram público as ordens do dia do Comando da Escola número dois e regimental, número setenta e oito, ambas deste mesmo dia. Outra ordem do dia do Comando da Escola número treze, a que se refere a regimental número noventa e um, ambas de vinte e cinco do citado mês, fez público ter sido aprovado plenamente com grau oito na primeira cadeira, com grau sete na segunda cadeira e em desenho, tudo do segundo ano do curso superior. A primeiro de março foi mandado considerar matriculado no terceiro ano do curso superior, como fizeram público as ordens do dia do Comando da Escola número trinta e seis e regimental número cento e quatorze, ambas daquela data. A dois também de março, apresentou-se da licença em cujo gozo se achava, como fizeram público as ordens do dia do Comando da Escola número trinta e sete e regimental número cento e quinze, ambas do mesmo dia dois. Pela ordem do dia regimental número dois de cinco de junho; foi na mesma data transferido para a primeira Companhia, sendo incluído na mesma data onde tomou o número cento e oitenta e oito. Baixou à enfermaria a dezoito e teve alta a vinte, tudo de julho. Pela ordem do dia regimental número onze, de vinte e sete de setembro, foi nomeado sargento de sua Companhia como propôs o respectivo comandante. Baixou à enfermaria a quatro de novembro. Por ordem do Ministro da Guerra e para ser observado, baixou ao hospital Central no referido dia quatro de novembro. Em obediência à ordem do dia do Comandante da Escola, número oitenta e três de treze de dezembro foi na mesma data desligado deste corpo e mandado apresentar do Hospital Central onde se achava à Repartição do Ajudante General, por haver do Ministério da Guerra em portaria de onze do mesmo mês mandado trancar-lhe a
matrícula com que freqüentava esta escola, nos termos do final do artigo cento e quarenta e três do regulamento de dezessete de janeiro de mil, oitocentos e setenta e quatro, o que tudo fez público a ordem do dia regimental número cinqüenta e dois do referido dia treze de dezembro. Nada mais consta no arquivo deste corpo, relativamente a dita praça, pelo que mandei passar a presente, que vai por mim assinada e selada com o sinete do corpo. Quartel na Praia Vermelha em vinte e nove de setembro de mil, oitocentos e noventa e dois. E eu, o alferes João (?) Rodrigues, secretário, a subscreve.

Francisco Paiva Azevedo
T. Cel.